Especialista critica modelo híbrido na concessão das rodovias

16 de fevereiro de 2021 às 15:00

Especialista critica modelo híbrido na concessão das rodovias

Luiz Antonio Fayet é contra modelo que privilegia maiores valores de outorga

O economista do Conselho Regional de Economia do Paraná, Luiz Antonio Fayet, em entrevista à Rádio CBN, de Curitiba, apontou as consequências negativas do modelo híbrido na concessão de rodovias. Esse modelo se baseia em licitações que prevê maior valor outorga ao governo e foi apresentado como proposta do Ministério da Infraestrutura para a renovação do Anel de Integração da capital paranaense. Segundo Fayet, as concessionárias recuperam o valor dessa outorga cobrando altas tarifas de pedágio ao cidadão. Ele defende o modelo de Menor Tarifa, que indica como vencedor quem oferece o menor valor para a intervenção.  “Uma cooperativa gastou, em um ano, 78 milhões em pedágios. Pelo modelo de menor tarifa ela teria pago 20 milhões, aproximadamente. São 50 milhões que deixaram de ir para as cadeias produtivas para ir aos pedágios”, exemplificou. Ouça a entrevista na íntegra abaixo.