19 de janeiro de 2021 às 10:01

Greve dos caminhoneiros pode piorar a situação de operadoras de rodovias

Uma nova paralisação dos caminhoneiros está marcada para o dia 1° de fevereiro, e já conta com o apoio de 21 estados brasileiros

Uma possível greve dos caminhoneiros poderia piorar a situação das concessionárias de rodovias, como a CCR  e a Ecorodovias, afirma a Ágora em relatório enviado a clientes. As operadoras já enfrentam dificuldades devido a pandemia do coronavírus, que derrubou o tráfego de veículos.

Uma nova greve nacional dos caminhoneiros está marcada para ocorrer no dia 1° de fevereiro, e já conta com o apoio de 21 estados brasileiros, segundo o presidente da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), José Roberto Stringasci, que já confirmou a paralisação. Os caminhoneiros protestam contra a alta dos preços do diesel e pedem uma aplicação mais rígida dos direitos dos trabalhadores.

A greve dos caminhoneiros, em maio de 2018, provocou uma crise de abastecimento de proporções nacionais, elevou os gastos do governo e jogou para baixo o crescimento do PIB.

“Uma nova greve de caminhoneiros pode causar impactos nas operadoras de rodovias e criar interrupções nas cadeias de suprimentos de bens de capitais”, afirmam os analistas Victor Mizusaki e Ricardo França.

Por outro lado, observa a dupla, a greve poderia fortalecer os movimentos das empresas para depender menos de caminhoneiros independentes e mais de operadores logísticos.

Fonte: Money Times