14 de setembro de 2020 às 11:39

Exportações do agronegócio cresceram 7,8% em agosto, para US$ 8,9 bi

O desempenho das exportações de soja e derivados, que encabeçam os embarques do campo, foi fundamental para o resultado

O ritmo forte de embarques de soja, carnes e açúcar, impulsionou as exportações brasileiras do agronegócio em agosto. Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pelo Ministério da Agricultura, no total as vendas do setor ao exterior somaram US$ 8,906 bilhões, 7,8% mais que no mesmo mês do ano passado. As importações caíram 17,3% na comparação, para US$ 911,5 milhões, e com isso o superávit foi 11,7% maior (US$ 7,994 bilhões).
O desempenho das exportações de soja e derivados, que encabeçam os embarques do campo, foi fundamental para o resultado. Nessa frente, as vendas renderam US$ 2,766 bilhões em agosto, 19,9% mais que no mesmo mês de 2019.

“As exportações de soja em grão atingiram US$ 2,21 bilhões (+25,1%), com elevação da quantidade exportada em 24,6% e incremento de 0,5% no preço médio de exportação. A China foi a principal importadora da soja em grão brasileira, com participação de 74,8% da quantidade exportada pelo Brasil”, destacou o ministério.
A China também continua a ser a maior importadora de carnes brasileiras, e sua demanda também está aquecida, exceto no caso da carne de frango. Nesse segmento, as exportações nacionais somaram US$ 1,49 bilhão em agosto, em alta de 5,4%. No mês, segundo o ministério, o país asiático absorveu 62% dos embarques de carne bovina in natura e 67,8% das vendas de carne suína in natura.
Entre os produtos do agronegócio mais exportados pelo país, tambem houve aumento — e bastante expressivo — na receita das vendas do complexo sucroalcooleiro. Alavancadas pelo açúcar, as exportações do segmento chegaram a US$ 1,102 bilhão em agosto, 75,6% mais que no mesmo mês de 2019.
Mas houve baixas nas áreas de cereais, farinhas e preparações, onde está o milho, (12,2%, para US$ 1,143 bilhão), de produtos florestais (13,1%, para US$ 890,6 milhões) e de café (2%, para US$ 417 milhões).

Principal destino da soja e das carnes do Brasil, a China absorveu 30,6% (US$ 2,727 bilhões) das exportações setoriais do país em agosto, ante 25,3% no mesmo mês de 2019 (US$ 2,088 bilhões).
Nos primeiros oito meses do ano, conforme o Ministério da Agricultura, as exportações brasileiras de produtos do agronegócio alcançaram US$ 69,635 bilhões, 8,3% mais que em igual intervalo do ano passado. As importações recuaram 11,9% na comparação, para US$ 8,131 bilhões, e o superávit foi 11,7% maior (US$ 61,504 bilhões).
Soja e derivados puxaram os embarques de janeiro a agosto (US$ 30,278 bilhões, alta de 25,6%), seguidos por carnes (US$ 11,291 bilhões, alta de 8,8%), produtos florestais (US$ 7,491 bilhão, queda de 19,1%) e açúcar e etanol (US$ 5,716 bilhões, alta de 50,5%).

Fonte: Valor Economico