18 de junho de 2020 às 22:39

Movimentação portuária cresce 3,71% no quadrimestre

Do total movimentado entre janeiro e abril, os portos privados movimentaram 65,2%.

Nos primeiros quatro meses, o setor portuário nacional (portos públicos + terminais privados) movimentou 340.588.296 toneladas. O montante corresponde a um crescimento de 3,71% em comparação com o mesmo período de 2019. Os dados são do Estatístico Aquaviário da Antaq, sistema que pode ser acessado no site da Agência.

Do total movimentado entre janeiro e abril, os portos privados movimentaram 65,2%. Os portos públicos, 34,8%. O Terminal da Ponta da Madeira (MA) foi a instalação privada que mais movimentou: 51,8 milhões de toneladas. Em relação aos portos públicos, Santos (SP) foi quem liderou: 35,3 milhões de toneladas.

O minério de ferro foi a carga mais movimentada no setor portuário durante o quadrimestre: 108,5 milhões de toneladas, queda de 6,21% em relação ao mesmo período de 2019. Entre janeiro e abril deste ano, destaque para a movimentação de combustíveis minerais, com crescimento de 17,54%.

Abril

A movimentação de abril foi de 91,6 milhões de toneladas, um crescimento de 16,6% em comparação com o mesmo mês de 2019.

Outros dados
Comparativo entre o 1º quadrimestre de 2020 e o 1º quadrimestre de 2019.
Crescimento de 3,7 % na movimentação portuária;
Redução de 6,6% no número de atracações – aumento da consignação média;
Aumento de 11,7% no total exportado para a China (Soja (41,5%) e Petróleo (44,5%);
Incremento de 11,5% na movimentação de cabotagem com plataformas/ Incremento de 0,5% na movimentação de cabotagem sem plataformas
Cabotagem (geral) em abril teve uma redução de 1,3%;
Sem o transporte das plataformas, abril teve uma redução de 19,21% em relação a abril/2019 (-39,1% granel líquido; -6,2% contêiner; -41% carga geral; +12,5% granel sólido).

A movimentação do setor portuário nacional cresceu nos primeiros quatro meses de 2020. Quanto ao efeito da COVID-19 na movimentação total, parece, até o momento, ter ficado restrito principalmente ao mês de janeiro, pico da epidemia na China, com redução de 15,3% nas exportações para lá. Esse efeito foi amplamente superado nos meses seguintes, tendo as exportações de janeiro a abril para esse país aumentado em 11,7%, com soja e petróleo tendo apresentado aumentos de mais de 40%.

A expectativa para o ano de 2020 é de um aumento na movimentação portuária total

O minério de ferro ainda é a carga mais movimentada no país. No entanto, houve uma redução no quadrimestre. A redução na movimentação de minério de ferro pelo Terminal de Tubarão, no Espírito Santo, tem ocorrido desde 2018 como política da Vale, o que se intensificou após o desastre de Brumadinho. Em contrapartida, a movimentação no principal terminal movimentador de minério de ferro do Brasil, o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, também da Vale, no Maranhão, cresceu 10% em 2020, muito em função do resultado ruim em 2019 devido a chuvas. A redução ocorreu principalmente no Porto de Itaguaí, -26,7% no quadrimestre, e no Terminal de Tubarão, -40,1% no quadrimestre, sendo que em abril o Porto de Itaguaí começou a apresentar uma recuperação.

Essa queda em terminais do Rio de Janeiro e do Espírito Santo ocorreu principalmente para embarques com destino à China e à Malásia, possivelmente em resposta a uma redução no ritmo de crescimento da China, que passou a demandar, nesse período, menos matéria-prima para sua indústria.

Expectativa para 2020 é otimista

A expectativa para o ano de 2020 é de um aumento na movimentação portuária total. Apesar de um resultado negativo na cabotagem no curto prazo, tanto exportações quanto importações devem apresentar crescimento, principalmente puxadas pelo granel agrícola, com safra forte e aumento de demanda da China e pelo granel líquido, petróleo e derivados, que já apresentou aumento de 20% até abril e deve permanecer significativo ao longo do ano.

Fonte: Antaq