15 de outubro de 2019 às 16:07

Brasil enfrentará o desafio de melhorar no ranking de competitividade

Atualmente, país ocupa o 48º lugar em conectividade de linhas marítimas e 104º em eficiência de portos marítimos.

O Brasil continua mal posicionado no pilar de infraestrutura do ranking de competitividade no Relatório Global de Competitividade 2019 do Fórum Econômico Mundial, 78º lugar no ranking geral de infraestrutura e 85º na infraestrutura de transporte.

Nos detalhes, está posicionado no 69º lugar em conectividade rodoviária, 116º em qualidade de rodovias, 78º em densidade de ferrovias, 86º em eficiência de serviços de trens, 17º em conectividade de aeroportos, 85º em eficiência de serviços aéreos, 48º em conectividade de linhas marítimas e 104º em eficiência de portos marítimos.

Os dados do Relatório foram divulgados durante o 1º Seminário de Competitividade do Setor de Infraestrutura, realizado no último dia 8, pelo Ministério da Infraestrutura em parceria com a Fundação Dom Cabral.

O ministro Tarcísio Freitas comentou que a posição do país no ranking é um desafio a ser enfrentado, sendo um dos pilares do governo, que tem hoje o maior programa de concessões do mundo. Freitas falou ainda sobre o Plano Nacional de Logística, que irá redistribuir a matriz do transporte brasileiro.

Até 2022, estão previstas as concessões de mais 41 aeroportos, 16 mil km de rodovias, dezenas de arrendamentos portuários, privatização das companhias docas e a retomada de um programa ferroviário, com um marco legal moderno, que está revolucionando o setor. Paulo Rezende, da Fundação Dom Cabral, realçou que o atual governo está enfrentando o problema, ao contrário de governos anteriores que criticavam o Relatório Anual Global de Competitividade. Confira a íntegra do relatório clicando aqui.