18 de março de 2019 às 09:14

Potencialidades de investimentos sobram nos portos baianos

O objetivo foi divulgar o portfólio de investimentos e debater perspectivas e novas tecnologias. Clique e veja cobertura completa.

Potencialidades de investimentos sobram nos portos baianos

Com um público estimado em 600 pessoas, a Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba) realizou na última sexta-feira (15), em Salvador, o seminário “Bahia de Todos os Portos”. O objetivo foi divulgar o portfólio de investimentos e debater perspectivas e novas tecnologias para o setor portuário, além de mostrar as oportunidades de outorgas e o plano de desenvolvimento para os próximos 20 anos dos Portos de Salvador, Aratu – Candeias e Ilhéus. Confira abaixo os principais destaques do encontro.

 

Investimentos de R$3 bilhões

O secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura (SNPTA), Diogo Piloni, durante palestra de abertura do evento, destacou o potencial de investimentos dos três portos baianos que, apesar das vocações diferentes, se complementam. Juntos, os portos movimentam aproximadamente 12 milhões de toneladas por ano.“Teremos investimentos de aproximadamente R$ 3 bilhões em lançamentos, com 20 intervenções no complexo portuário em parceria com a iniciativa privada e vamos focar na segurança jurídica para os investidores, com edição de portarias de regulamentação e arrendamentos de terminais de uso privado (Tup´s)”, destacou Piloni. Disse ainda que, em breve, o governo irá apresentar as propostas de investimentos para o lançamento de licitações em arrendamentos nos portos de Aratu e Salvador. A palestra magna do seminário foi proferida por Disney Barroca Neto, coordenador geral de Modelagens de Arrendamentos Portuários da SNPTA.

 

Salvador Hub Port

Em sua palestra, o diretor-executivo da Usuport, Paulo Villa, traçou um perfil do segmento portuário da Bahia e do país e enumerou os principais gargalos que impedem a competitividade; destacou as transformações mundiais decorrentes da revolução logística e tecnológica no transporte marítimo de carga conteinerizada e falou das medidas que devem ser adotadas para inserir o Brasil entre os melhores do ranking mundial. No rol dessas ações, o diretor apresentou o projeto do 2º terminal de contêiner, único no país com características de terminal de transbordo, apto a receber navios porta-contêineres com mais de 400 m de comprimento, 60 m de boca e calado de 18 m. Isto decorre de três fatores decisivos, vantagens comparativas inigualáveis com outros portos brasileiros: clima, profundidade natural e acesso marítimo rápido e fácil, que dão segurança à implantação de linhas diretas com navios-mãe. “É uma estratégia para sinalizar ao mundo o ingresso definitivo do Brasil na era do contêiner, que abre uma importante janela internacional e alavanca a cabotagem, condição imprescindível para aumentar a competitividade e a eficiência do país”, destacou Villa. Confira a apresentação clicando aqui.

 

Tecnologia e gestão

Na oportunidade, a Codeba também assinou acordo com a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), do Paraná, que vai possibilitar a integração dos sistemas de gestão dos portos de Salvador, Aratu-Candeias e Ilhéus, O objetivo é ter uma gestão mais ágil para atender às demandas do setor produtivo.

 

Novo projeto de mineração

A empresa Colomi Iron Mineração, associada Usuport, anunciou a intenção do investimento de R$ 11 bilhões em projeto de minério de ferro em Sento Sé, Bahia, com aportes para a exploração de mina, em melhorias na ferrovia,entre Aratu e Juazeiro, e no Terminal de Graneis Sólidos do Porto de Aratu.

 

Porto 4.0

A diretora de Gestão e Modernização Portuária da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Fernanda Rumblesperger, destacou que, dentro de um projeto piloto, o Porto de Salvador vai ganhar alguns recursos de automação no conceito de Porto 4.0. Com isso, se obtém mais segurança, eficiência e redução de custos.

Fonte: Ascom/Usuport