Caso não consiga ler este email, por favor clique aqui

Usuport nº 307   
 
03 de Jul de 2017  

Usuport defende a privatização da Codeba

Em entrevista ao jornal A Tarde, o presidente da Associação de Usuários dos Portos da Bahia - Usuport, Marconi Andraos Oliveira, defendeu a privatização da Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba). O projeto de privatização das companhias regionais está em análise pelo governo federal desde abril deste ano e deve começar pela Codesa (ES). Marconi destaca que “as operações nos portos estão sendo penalizadas, diante da perda do poder local, com decisões sobre gestão cada vez mais centralizadas e padronizadas nacionalmente pelo Ministério dos Transportes, sem nem sempre levar em consideração aspectos da realidade local". Disse ainda que a privatização poderia representar mais eficiência na gestão dos portos brasileiros, ser uma das soluções para uma governança mais profissional, além de dar maior competitividade aos portos baianos.

 
  Temer veta isenção de AFRMM para a Região Nordeste  
 

Foi estendido até 8 de janeiro de 2022 o prazo de isenção do Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM), somente para cabotagem e transporte fluvial,de mercadorias cuja origem ou destino final seja porto localizado na Região Norte ou Nordeste. O texto aprovado pelo Congresso estendia a isenção a mercadorias importadas (longo curso) que chegassem pelos portos das Regiões Norte e Nordeste destinadas à industrialização ou consumo, artigo que foi vetado por Temer sob alegação de representar renúncia tributária. Com essa restrição, cria-se mais um impeditivo à competitividade e desenvolvimento econômico regional.

 
  EPL estuda transformar em TUP’s áreas próximas a portos  
 

A Empresa de Planejamento e Logística (EPL) estuda pelo menos 15 áreas adjacentes a portos públicos do país para transformá-las em terminais privados (TUP). O trabalho, no momento, se concentra em estimar o tipo de terminal adequado a cada região e as obras necessárias para a construção do terminal portuário. A previsão da EPL é licitar novos terminais até o fim de 2018.

 
  Imbituba será porto importante na rota de contêineres da Ásia  
 

O Porto de Imbituba (SC) venceu a concorrência do joint Ásia e agora passa a integrar o grupo de portos da América Latina que recebe navios de contêineres do mercado asiático. Pesou nessa decisão o fato de ser o porto público com maior profundidade das regiões Sul e Sudeste do Brasil e possuir condições climáticas favoráveis para a continuidade das operações. Conta com três berços de atracação e o canal de acesso atinge a profundidade de 17 metros. A previsão é de que as operações de embarque sejam iniciadas em agosto deste ano. Atualmente, movimenta granéis sólidos e líquidos, congelados, contêineres e carga geral. O serviço Ásia inclui os armadores Hamburg Sud, Hapag Lloyd, Nyk, Zim e Hyundai (HMM).

 
  Triunfo vende Portonave por R$ 1,3 bilhão  
 

A Triunfo Participações fechou acordo para vender sua fatia de 50% do terminal portuário Portonave (SC) para a sócia Terminal Investment Limited, ligado ao armador MSC, por R$ 1,3 bilhão. A transação ainda terá de ser submetida à aprovação da Agência Nacional de Transportes Aquaviários e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica. A previsão é de que o processo esteja concluído até o fim de agosto.

 
  Setor aéreo teve queda de 6,9% em 2016  
 

Segundo dados do Anuário do Transporte Aéreo - 2016, divulgado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o setor aéreo teve retração de 6,9% em comparação com o ano anterior, a primeira após 13 anos consecutivos de crescimento. Esse desempenho negativo é fruto do cenário de recessão econômica no Brasil ao longo dos últimos dois anos. O estudo registra ainda que, dos 20 grandes aeroportos do país, o de Salvador foi o que teve a terceira maior queda na quantidade de voos, 20,5% no total de decolagens, em 2016. No ranking geral, Congonhas (SP) foi o único que obteve aumento, com 1,4%. A soma de passageiros embarcados a partir do aeroporto de Salvador também caiu 19,5% no período. O Anuário está disponível na seção Dados e Estatísticas do portal da ANAC. Acesse clicando aqui.

 
  Portal simplifica exportações em portos e rodovias  
 

Os exportadores que embarcam cargas por meio marítimo e rodoviário já podem utilizar o Portal Único do Comércio Exterior, na internet, para simplificar e tornar mais ágil o processo. O serviço vale, inicialmente, para as exportações sujeitas exclusivamente a controle aduaneiro realizadas no Porto de Santos, que é responsável por um terço das exportações marítimas, e nas unidades aduaneiras em Uruguaiana (RS) e Foz do Iguaçu (PR), que respondem por mais de 50% do que o Brasil exporta por meio rodoviário. A expectativa da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e da Receita Federal é de que, até o final do ano, 100% das exportações possam ser feitas através do portal.

 
  Chineses consideram ferrovias brasileiras desconectadas  
 

Durante o encontro empresarial Brasil-China, os investidores chineses disseram que as ferrovias brasileiras podem ter baixa rentabilidade por não estarem conectadas. O governo conversa com o setor privado para ver se há interesse das empresas em construir um trecho da Ferrovia de Integração Oeste-leste (Fiol) e operar a parte que já foi construída com recursos públicos. O trecho que está em construção liga o porto de Ilhéus (a ser construído) com minas de ferro no interior da Bahia. A parte a ser construída seguiria desse ponto até se interligar com a Ferrovia Norte-sul. A Fiol, segundo o governo, é o início da Ferrovia Bioceânica, considerada uma prioridade pelos chineses.

 
  União discute expansão de ferrovias com TCU  
 

Segundo informação do jornal Valor Econômico, o governo iniciou conversas com o Tribunal de Contas da União (TCU) e com o Ministério Público Federal (MPF) para evitar eventuais bloqueios à modelagem que visa ampliar a malha ferroviária no país. A ideia no Palácio do Planalto é esclarecer antecipadamente os órgãos de controle sobre a estratégia de negociar a construção de obras em ferrovias como contrapartida à prorrogação antecipada de contratos das atuais concessionárias. Cinco empresas estão pedindo a renovação de suas concessões, que vencem na próxima década, por mais 30 anos: Rumo Malha Paulista, MRS Logística, Estrada de Ferro Vitória-Minas (EFVM), Estrada de Ferro Carajás (EFC) e Ferrovia Centro-Atlântica (FCA).

 
  Linha ferroviária vai ligar Sines à Espanha  
 

A Comissão Europeia aprovou o financiamento de 89,5 milhõesde euros para a construção do Corredor Internacional Sul, que vai ligar o Porto de Sines (Portugal) à fronteira do Caia (Espanha), uma das conexões previstas no Plano Ferrovia 2020 do governo português. Oempreendimento integra um pacote de 2,7 bilhões de euros para 152 projetos de transportes, em apoio à mobilidade competitiva, limpa e interligada na Europa.

 
  Gargalos ameaçam comércio mundial de alimentos  
 

Segundo relatório do think tank britânico Chatham House, divulgado em 27 de junho, as mudanças climáticas ameaçam a segurança alimentar global não apenas pelos impactos na produção agrícola, mas também pela interrupção das redes de escoamento de grãos. Dos 14 gargalos no comércio mundial de alimentos no planeta apontados pelo relatório, dois estão no Brasil, que são as rodovias do interior e os portos do sul e sudeste que, “sob efeito de eventos climáticos extremos, podem paralisar a exportação de commodities e espalhar a fome por diversos países ao redor do mundo, sobretudo os mais pobres”. Em um capítulo dedicado ao Brasil, o estudo diz que o “avanço espetacular do país como fornecedor global de soja e milho não foi acompanhado por investimentos em infraestrutura para exportação. Os portos estão operando perto da capacidade máxima, enquanto o transporte para novos terminais que estão sendo construídos no Norte é dificultado pelas péssimas condições das estradas”.

 
 

 

 
Avenida da França, 164 - s/ 309, 40010-000 - Salvador - Bahia   Telefax:(71) 3241-7337 usuport@usuport.org.br
www.usuport.org.br
Não responda este e-mail. Qualquer dúvida entre em contato conosco através de nosso website.