05 de julho de 2018 às 00:00

Polo 40 anos

Paulo Villa
--
O Polo é responsável por mais de 80% da movimentação do Porto de Aratu e mais de 60% do Porto de Salvador.

Polo 40 anos

O Polo nasceu petroquímico e, 40 anos depois, é um conjunto maior e diversificado de segmentos industriais e de serviços. Isto aconteceu em razão de bom planejamento lógico, que deu uma infraestrutura capaz de atrair negócios. Sem dúvida, o Polo Industrial de Camaçari se tornou muito importante para a Bahia e o Brasil. 

O Polo é responsável por mais de 80% da movimentação do Porto de Aratu e mais de 60% do Porto de Salvador. O maior desafio é quanto a infraestrutura de transportes de cargas e de serviços desses dois portos, uma vez que os custos elevados retiram a competitividade do Polo, das empresas em geral e do próprio Estado da Bahia, uma vez que portos de outros estados estão se desenvolvendo.

O Porto de Aratu, especializado em cargas graneleiras de duas dezenas de grandes usuários, está com sua capacidade de movimentar cargas saturada há duas décadas. Para resolver isto, são necessárias licitações de arrendamentos de novos terminais e de áreas de armazenagem, de modo a atender as demandas pretérita e futura.

Já o Porto de Salvador, dedicado às cargas conteinerizadas, mais importante porque atende milhares de cargas e usuários, o problema é o monopólio não regulado de um limitado terminal, que impôs apenas um berço para os navios porta-contêiner de longo curso, há quase duas décadas também, tendo como efeito a redução drástica do número de serviços, linhas marítimas regulares, e do índice de conexão de Salvador com portos do mundo.

Aqui realçamos a importância de um eficiente porto conteinero. A Usuport propõe fazer de Salvador um porto de transbordo com dois grandes terminais de contêiner, capazes de receber os maiores navios do mundo e operar linhas diretas, utilizando o fabuloso potencial da Baía de Todos os Santos. Isto daria forte competitividade ao Polo de Camaçari, com efeitos de novos investimentos, criação de empregos e riqueza. Realmente, um efeito transformador.

Paulo Villa é Diretor executivo da Usuport.