10 de setembro de 2018 às 16:54

China ultrapassa EUA como principal nação marítima do mundo

Os EUA estão em segundo lugar, pontuando alto em todas as quatro dimensões, seguidos pelo Japão. Alemanha, Noruega e Coreia do Sul, dividem o quarto lugar.

A China é o maior país de transporte marítimo internacional, de acordo com um novo relatório apresentado pela DNV GL e pela Menon Economics na feira SMM em Hamburgo, em 5 de setembro.

O estudo, intitulado “As Nações Marítimas Líderes do Mundo”, compara as 30 nações marítimas líderes em todo o mundo em quatro pilares marítimos fundamentais: navegação, finanças e direito, tecnologia marítima e portos e logística, na tentativa de compreender os principais impulsionadores por trás do sucesso marítimo nacional.

O novo relatório acompanha o relatório de 2017 da Menon e da DNV GL sobre as “Capitais Marítimas Líderes do Mundo”, mas muda o foco para uma extensa revisão do setor marítimo em nível nacional.

Como explicado, as 30 nações foram classificadas por tamanho e magnitude em todos os quatro principais pilares marítimos e seus subgrupos. Como o setor marítimo é o principal motor de toda a indústria marítima, mais peso foi dado ao setor de transporte marítimo.

O relatório de 2018 classifica a China como a principal nação marítima do mundo, devido aos quatro maiores rankings em todos os pilares marítimos. A posição da China é particularmente forte nos portos e no pilar da logística, com os maiores portos de contêineres e granéis do mundo.

“A força da China é esmagadora, particularmente no pilar de portos e logística, mas também no transporte marítimo”, disse Erik W. Jakobsen, sócio-gerente da Menon Economics e co-autor do relatório.

“Não deveria nos surpreender, no entanto, já que a China é o maior país exportador e importador do mundo. A outra superpotência econômica, EUA, segue a China no ranking, com os principais portos e cidades marítimas na costa leste e oeste”, acrescentou.

Os EUA estão em segundo lugar, pontuando alto em todas as quatro dimensões, seguidos pelo Japão. Alemanha, Noruega e Coreia do Sul, dividem o quarto lugar. A força da Alemanha reside na sua consistência, com um top cinco em três categorias, enquanto a Noruega tem a sua posição mais forte em finanças marítimas e direito e tecnologia marítima. A Coreia do Sul é a top 10 em tecnologia marítima e está entre as 10 maiores em frete e portos e logística.

“Para os três principais países marítimos, os rankings do estudo refletem o tamanho de suas economias nacionais”, Shahrin Osman, Chefe Regional de Consultoria Marítima para o Sudeste Asiático, Pacífico e Índia, da DNV GL Maritime, co-autor dos relatórios de 2017 e 2018, comentou.

“Curiosamente, no quarto lugar conjunto da Noruega, Coreia do Sul e Grécia na 7ª posição, podemos ver que os países “menores” ainda podem ter uma influência e importância fora do comum no mundo marítimo, devido às suas tradições, história e inovações”, ele disse ainda.

O Brasil está em 22º lugar, segundo o relatório.

Fonte: World Maritime News