01 de agosto de 2018 às 11:17

PF desarticula organização criminosa no Porto de Aratu

A quadrilha agia com violência e ameaças aos guardas portuários, caminhoneiros autônomos e empresas transportadoras de carga.

A Polícia Federal deflagrou, no dia 9 de julho, a Operação Pedágio, que desarticulou uma organização criminosa, envolvida em furtos de cargas e extorsões, que vinham sendo praticadas no Porto de Aratu (BA). A organização agia com violência e ameaças aos guardas portuários, caminhoneiros autônomos e empresas transportadoras de carga, visando à cobrança de taxas e valores sobre os fretes.

Disfarçada de cooperativa, passou a atuar como milícia, exigindo o pagamento de um percentual por cada tonelada de carga de fertilizantes e minerais transportada pelo Porto de Aratu. Obrigava também a retenção esporádica do valor de uma viagem por caminhão, chamada de “nota”, em eventuais operações, em flagrante prejuízo financeiro da totalidade dos caminhoneiros autônomos, em regular atividade de transporte de carga, sem nenhum vínculo com a cooperativa, bem como de todas as empresas transportadoras que operam no porto.

A quadrilha também impedia o livre exercício da atividade profissional, impondo os nomes dos motoristas e respectivos caminhões que poderiam ou não trabalhar na descarga dos navios.

Já foram presos cinco indivíduos e cumpridos oito mandados de busca e apreensão, em residências e em sede de empresas. Na operação foram colhidas provas, comprovando que os milicianos pretendiam expandir a atuação da quadrilha para os portos de Salvador e de São Tomé de Paripe. A Polícia Federal continua no encalço de outros envolvidos.

Fonte: Ascom/Usuport