12 de junho de 2018 às 08:50

PIB: A Bahia está crescendo menos que o Brasil

O pior é que na recessão, o PIB da Bahia caiu 8,2%, no período 2015/2016, enquanto a economia nacional caia em torno de 7%.

O PIB da Bahia cresceu apenas 0,4% no 1º trimestre de 2018, enquanto no mesmo período a economia nacional cresceu 3 vezes mais, elevando-se em 1,2%. Os dados são oficiais, divulgados esta semana, pela SEI – Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais. Há 3 semestres consecutivos, a Bahia cresce menos que o Brasil, enquanto outros estados do Nordeste, como Pernambuco e Ceará, estão em plena retomada do crescimento econômico.

O pior é que na recessão, o PIB da Bahia caiu 8,2%, no período 2015/2016, enquanto a economia nacional caia em torno de 7%. Ou seja, é o pior dos mundos: quando o Brasil vai mal a Bahia vai pior e quando o país volta a crescer, a Bahia cresce menos  que  a média nacional. O mais grave, porém, é que , segundo os técnicos da SEI, a tendência é que a economia baiana permaneça crescendo menos que a economia brasileira nos próximos trimestres.

No primeiro trimestre deste ano, a indústria baiana caiu quase 3%, a agropecuária recuou 2,6% e a construção civil caiu 5,4%. E essas variações negativas estão calculadas sobre uma base que vem caindo há meses seguidos. Apenas o setor serviços apresentou crescimento positivo de 1,4% no trimestre, mesmo assim inferior a média nacional. Setores tradicionais da economia baiana estão perdendo peso na formação do PIB. É o caso da construção civil, que registra quedas acentuadas desde 2014 e está se tornando um setor marginal da nossa economia. Fenômeno semelhante se verifica no setor turístico, que permanece estagnado pelo pouco dinamismo do turismo de negócios, travado pela falta de um centro de convenções.

Com a perda de dinamismo no setor produtivo, a Bahia está cada vez mais dependente da Administração Pública, um dos poucos setores que registraram crescimento no 1º trimestre de 2018, elevando-se em 1,4%, mais que o dobro do crescimento verificado a nível nacional. Enquanto o setor privado na Bahia recua, o setor público  cresce e já representa cerca de 20% do PIB baiano. Os dirigentes do governo do Estado nem sempre recebem este tipo de análise como uma contribuição e, geralmente reagem de forma direta (ou indireta) via imprensa e rádio, mas esta é a realidade e os dados são produzidos pelo próprio governo do Estado que deveria dar prioridade imediata ao crescimento econômico da Bahia.

Fonte: Bahia Econômica