04 de dezembro de 2017 às 10:29

Usuport quer diminuir Custo Brasil para importadores com o fim da THC2 (I)

-

A Usuport participou do novo debate promovido pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara Federal, dia 30 de novembro, sobre a cobrança em duplicidade da tarifa portuária conhecida como THC2 (Terminal Handling Charge 2). O serviço é exigido pelos terminais para entrega de contêineres importados aos portos secos, em uma disputa do mercado de armazenamento de cargas alfandegadas. Em setembro deste ano, representantes do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) consideraram a THC2 ilegal, divergindo da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). O diretor executivo da Usuport, Paulo Villa, debateu com representantes da Associação Brasileira de Terminais de Contêineres (Abratec), Associação de Terminais Privados (ATP), Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP) e Federação Nacional dos Operadores Portuários (Fenop), todos unidos em favor de uma dezena de empresas portuárias que querem cobrar o serviço em duplicidade, mantendo o Custo Brasil elevado e gerando enriquecimento ilícito.