18 de maio de 2017 às 12:58

Decreto deixa de fora unificação de áreas contíguas

-

O Decreto dos Portos foi publicado na semana passada sem um dos pontos mais defendidos pelas empresas que detêm arrendamentos - a previsão expressa de unificação dos contratos de áreas contíguas e de mesma titularidade, com a devida recomposição do equilíbrio econômico-financeiro.
 

Leia mais no Valor.

Fonte: Valor Econômico