17 de maio de 2017 às 12:12

BNDES atuará na concessão de portos

Banco vai ajudar a fazer os estudos de viabilidade e a definir o modelo de concessão das companhias Docas

Além das distribuidoras de gás natural canalizado, o BNDES está abrindo novas frentes em seu programa de desestatização nas esfera federal e municipal. Em âmbito federal, o banco vai ajudar a fazer os estudos de viabilidade e a definir o modelo de concessão das companhias Docas: a primeira será a Codesa, no Espírito Santo. Além disso vai assessorar os estudos técnicos para formatação da Parceria Público-Privada para gerir os canais do projeto de Transposição do Rio São Fracisco. Ambas iniciativas ainda serão formalizadas na próxima reunião do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), o programa de concessões do governo federal.
 
O GLOBO mostrou nesta segunda-feira que sete estados já demonstraram interesse no programa de privatização das distribuidoras de gás. O objetivo é elevar a capacidade de investimentos das companhias, para expandir a malha de dutos e atingir novos clientes, além de levantar recursos para os estados num momento em que atravessam grave crise fiscal. A previsão é fazer os leilões no terceiro trimestre de 2018.
 
Na esfera municipal, o foco é a iluminação pública. Por determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), essa atividade deixará de ser atribuição das distribuidoras de energia e passará a ser responsabilidade das prefeituras. O BNDES vai ajudar na estruturação de Parcerias Público-Privadas nessa área. Duas cidades — Teresina e Porto Alegre — estão em fase de contratação de estudos de viabilidade. A previsão é publicar os editais de licitação no terceiro trimestre deste ano.

Fonte: O Globo